Postagens

Fui na nutricionista

Nunca tinha ido, não sabia o que esperar além do clássico: dietinha padrão e ser chamada de obesa.

Pois bem, foi exatamente isso que aconteceu comigo.

Só que ela não me chamou de obesa, ela me colocou na balança cheia de nove-horas. Ela me mostrou o "resultado" numa página da web, com vários e vários outros números, me colocou como obesa II e me disse que "com esse resultado as chances de blablabla e bliblibli são muito aumentadas".

Aí ela me disse que para sair do "vermelho" eu tinha que pesar 80 quilos, e depois disso eu que decidia.

E eu fiquei pensando nisso.

Não fui preparada para revidar tudo isso na hora, deixei que ela fizesse o que ela está acostumada, e me deixei convencer de que eu tinha que pesar 80 quilos.

Mas, mano, quem disse que eu tenho que pesar 80 quilos?

Quem disse que eu só posso escolher DEPOIS de estar nos 80 quilos!?

Essa é uma escolha SOMENTE minha! Eu que estou assumindo ou não o risco de pesar ou não mais de 80 quilos, não ela. …

Comecei na dança do ventre

Comecei a fazer dança do ventre há mais ou menos um ano e meio. Foi no começo de 2016.

Comecei porque todo mundo diz: Atividade Física, lero-lero-lero!

Mas sabe, nenhum saco pra fazer caminhada, corrida, academia. Eca!

Então achei que fazer uma aula de dança pudesse me ajudar. E já no primeiro dia avisei a prof: não vou apresentar! Não quero glamur!

O que aconteceu? Já apresentei 3 vezes. Todas sofri tudo o que eu achei que sofreria, principalmente:

nervoso por ser filmada e virar memenervoso por errar a coreografianervoso porque não gosto de maquiagem e toda essa meleca de "ser mulher"nervoso de nervoso mesmo Eu gosto? Não, não gosto! Mas eu sobrevivi!

Agora, fazer a aula eu gosto! Gosto de treinar, gosto de ver a coreografia encaixando na música, gosto de ver eu lá no começo e eu agora, tão mais evoluida! E ver que ainda tem um caminho LONGO até eu parar de ter cara de aluna!

Mas, é uma atividade física maravilhosa! Eu realmente esqueço do mundo quando estou lá. Não quando …

O ano é 2017

Faz mesmo tanto tempo que não posto nada?

Eu tenho pensado em todas as coisas que mudaram na minha vida desde 2007, quando esse blog começou, e desde 2010, desde que casei, e desde 2015, desde a última vez que postei no blog.

Mas, não vim aqui pra isso. Interessante que quem gosta de escrever, acaba sempre escrevendo alguma coisa.

Eu tenho lembrado de algumas merdas que escrevi no passado, aqui nesse misero blog, e fico me perguntando se devo ou não remover.

Por um lado, é merda e ninguém merece.

Por outro, eu não sou mais aquilo, mas já fui aquilo.

Quanta opinião que mudou, quanto jeito de escrever texto que mudou.

Pois bem, voltei porque quero colocar alguns ensinamentos pra fora, algumas angústias e quem sabe, alguma coisa boa.

As vezes penso em pegar um caderno e desatar a escrever. Mas me sinto uma idiota. Bom, normalmente eu me sinto uma idiota, menos quando não me sinto.

Isso tá com cara de "meu querido diário" mas é assim mesmo que vai ficar.

Abraços,
#fui

Costas

Todo mundo que eu conheço tem dor nas costas.

As vezes mais. As vezes menos. Mas todas têm. Então eu nem me dei conta quando comecei a sentir as minhas. Na minha cabeça era natural, eu nem percebi.

Até que quinta feira, dia 29/11/2015 eu acordei com uma dor estranha. Era uma dor não quando se inclina pra frente ou pra trás, mas quando se dobra no meio, forçando ombro com ombro. E eu, como boa humana que sou, achei que fosse só um mal-jeito qualquer.

Até que sexta feira, dia 30/11/2015, em vez de melhorar, piorou. As vezes eu achava uma posição que não doia. As vezes só de respirar (e encher os pulmões) já ativava a dor. E fomos almoçar.

E cada engolida provocava duas ondas de dor. Eu quase conseguia sentir o bolo alimentar descendo pelo esôfago.

Pedi penico e fui no PS.

Meu maior medo era ser um caso precoce de herpes zoster. Minha mãe teve, e foi bem traumático. Corremos no neurologista depois do ortopedista não achar nada e olhar pra gente com cara de morte na família. Não foi legal…

Pesando três digitos

Devo estar pesando atualmente uns 105 quilos. Talvez menos, mas ainda assim mais de cem.

E quer saber? Eu me sinto melhor hoje do que me sentia quando pesava 93kg e comecei todo o meu processo de auto conhecimento e emagrecimento e engorda.

Eu me olho no espelho e me vejo bonita. E não é que eu me veja bonita ~apesar de~ estar gorda. Eu só me vejo bonita!

Claro, tem dia que eu não tenho forças nem pra sair da cama, quanto mais para me olhar no espelho e me sentir bonita. Mas isso é o normal e saudável. O trabalho e o capitalismo sugam nossas forças, isso sim.

Mas, apesar de me sentir bonita, de me sentir bem emocionalmente, tenho uma dor no calcanhar e uma asia que me fazem pensar: gorda.

Será que não há meios de limparmos totalmente a gordofobia da nossa cabeça? Será que nem mesmo a coincidência dessa asia estar acontecendo sempre no mesmo periódo do mês e só depois de parar com o anti-concepcional fazem eu deixar de culpar a ~gordura~?

Eu me sinto muito mal de cair no mesmo buraco g…

Duster Hiperclean - espanador

Imagem
Mais uma ferramenta para facilitar a limpeza da poeira que insiste em dividir a casa mas não o aluguel, o Duster da Hiperclean


Hiperclean, beijo me liga me mandar mais desse treco porque o meu tá acabando!

Eletricidade Estática

Imagem
Antes de continuar com a série sobre limpeza de casa. Quero fazer uma pausa para falar sobre eletricidade estática.

Lendo por aí (não me lembro exatamente onde) sobre mops e espanadores, achei uma pessoa que dizia não acreditar nessa história de eletrostática e eu não soube onde enfiar a minha cara de tanta vergolha alheia que eu senti.